segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

A locomotiva 20 em Belo Horizonte

Uma das locomotivas Classe 08-18C (4-4-0 - tipo American) da Oeste de Minas, fabricadas pela The Baldwin Locomotive Works em 1912, encontra-se em estado monumental no antigo prédio da Superintendência Regional 2 (SR-2) da extinta Rede Ferroviária Federal S.A. (RFFSA).
Pertencente ao depósito de Ribeirão Vermelho, ao fim de sua carreira na década de 1960, permaneceu em Lavras, MG, como monumento (anão de jardim), até 1981, quando foi transferida para Belo Horizonte numa triangulação que envolveu as locomotivas EFOM 1 (também da "bitolinha") e VFCO 233 (bitola métrica).
Com a inauguração do Museu Ferroviário de São João del-Rei, o PRESERVE quis que a principal peça de exposição fosse a primeira locomotiva da estrada. Como esta encontrava-se em Belo Horizonte, a SR-2 impôs uma condição para que a mesma fosse retirada de sua sede: que houvesse a substituição por outra locomotiva da "bitolinha". Assim, a ten-wheeler 233 foi parar em Lavras para substituir a 20, que foi parar na sede da SR-2.
Com a extinção da RFFSA, o prédio e todo seu patrimônio entrou em estado de semi-abandonado, o que lamentavelmente pode ser visto nas fotografias do meu amigo Victor Estanislau, de Belo Horizonte, com a locomotiva 20 e o carro da Administração A-1, feitas em janeiro de 2011.




Hoje este material pertence ao legado deixado pela RFFSA ao IPHAN. E, ao que se tem visto pelo Brasil afora, as condições em que se encontra o acervo aqui retratado não é exceção, é praticamente a regra sobre o patrimônio histórico-museológico da liquidada Rede Ferroviária Federal S.A.

 
Sobre a locomotiva 20

Tal veículo foi parte de uma encomenda de 1912, feita pela E. F. Oeste de Minas para os trens expresso da "bitolinha", como o "expressinho" entre São João del-Rei e Divinópolis. Tal encomenda complementava a frota de locomotivas da Classe 10-18C que ja contava com duas unidades de 1908. Sobre essas, o Trilhos do Oeste/GaxetaLeaks vazará um artigo em breve.

Locomotiva RMV 20 (EFOM 46, RMV-Oeste 20) ao lado do prédio da Iluminação, no Complexo Ferroviário de São João del-Rei, década de 1940. Foto: Acervo NEOM-ABPF.

 Em Barbacena, 1954. Foto: Acervo NEOM-ABPF.

 Em Lavras, em boas condições de uso, mas utilizada como "anão de jardim" na área das oficinas. Foto: Acervo NEOM-ABPF.


 Antes de ir para a Sede da SR-2, passou pelo "salão de beleza" do Horto Florestal, Belo Horizonte. Foto: Acervo NEOM-ABPF.

 Já como "anão de jardim" no prédio da SR-2, Belo Horizonte. Foto: Acervo NEOM-ABPF.


Sobre o carro A-1

O carro da administração da "bitolinha" de prefixo A-1 foi fabricado pela Bethlehem Shipbuilding Corporation no início do século XX para trafegar nas linhas em bitola de 0,76m da E. F. Oeste de Minas para os trens de inspeção da diretoria e viagens especiais. Foi mantido em uso até a década de 1970 e era mantido na Estação de São João del-Rei.


 Carro A-1 na Estação de São João del-Rei, década de 1970. Foto: Acervo NEOM-ABPF.

 Já como "anão de jardim" do prédio da extinta SR-2, Belo Horizonte. Foto: Divulgação.

3 comentários:

Isis disse...

Que triste!
Se não a preservam por respeito a sua história, podiam ao mesmo usá-la para fazer um café estiloso tão em voga nos últimos tempos.
Lamentável mesmo!

thiago2009r disse...

Nem sei o que dizer,essa ação só confirma que o Brasil não se importa com sua própria história.

Rick Muldoon disse...
Este comentário foi removido pelo autor.