sábado, 8 de outubro de 2011

A restauração da locomotiva #20, da Denver & Rio Grande Southern (Parte 1)

A restauração de bens industriais traz algumas particularidades em relação ao campo geral do restauro. No caso de máquinas, como é o caso de locomotivas, uma das preocupações fundamentais é a "ordem de marcha", ou seja, o devido funcionamento do veículo dentro de razões que envolvem as instâncias estética e histórica, mas sem esquecer dos princípios ligados à segurança e, obviamente, o bom funcionamento de todos os mecanismos que envolvem o movimento das "moças".
Neste post, acompanharemos os trabalhos de recuperação da locomotiva nº20 da Denver & Rio Grande Southern, uma ten-wheeler (4-6-0), realizados nas oficinas da Strasburg Rail Road, Pensilvânia, EUA.
A partir do momento em que o dito "patrimônio industrial" passou a ser também objeto de interesse de grupos preservacionistas, especialmente o referente às ferrovias, vindo até mesmo a serem fundadas instituições destinadas a esse ramo da preservação de bens culturais, é digno que se pense nas possibilidades que ele traz em sua duplice significação de bem cultural e - no tocante ao ferroviário - meio de transporte. Neste caso, perceber os procedimentos do restauro de um bem dessa natureza nos interessa para tentar buscar a compreensão sobre as questões técnicas envolvidas.

Locomotiva DRGS 20

Ficha Técnica

Fabricante: Schenectady Locomotive Works 
Ano de fabricação: 1899
Placa: 5007
Tipo: Ten-wheeler (4-6-0)
Bitola: 0,91m (3ft)
Expansão do vapor: Simples
Válvula de distribuição do vapor: tipo Stephenson 
Combustível: lenha (madeira) ou carvão 

"Florence & Cripple Creek 4-6-0 No. 20 was built by Schenectady in 1899. In 1916, F&CC No. 20 was sold to the Rio Grande Southern and it spent the next 35 years on the Silver San Juan Route. After the RGS was abandoned, the locomotive was first displayed at the Narrow gauge Motel at Alamosa. When the Colorado Railroad Museum was established in 1958, she was moved to the museum and has remained. The locomotive is being restored to operation and will operate at the museum when the overhaul is completed. She is seen here at the museum in Golden, Colorado in July, 1982." Tradução livre: "A locomotiva 4-6-0 da Florence & Cripple Creek, nº20, foi fabricada pela Schenectady em 1899. Em 1916, a mesma foi vendida para a Rio Grande Southern onde trabalhou por 35 anos na rota Silver - San Juan. Após o abandono da Rio Grande Southern, a locomotiva foi disposta em Alamosa. Quando, em 1958, fundaram o Colorado Railroad Museum ela foi movida para lá e preservada. A 20 está sendo restaurada para operar no museu. Nesta foto ela é vista no museu em Golden, Colorado, em julho de 1982".  Foto e texto de Juice Junkie.
Segundo a The Colorado Historic Railroad Preservation Association, esta locomotiva foi doada pelo Rocky Mountain Railroad Club ao Colorado Railroad Museum. O valor doado por um benfeitor anônimo deverá ser destinado ao restauro da locomotiva à condição operacional.

Nas oficinas da Strasburg Rail Road, a caldeira é separada do longerão para os devidos serviços de caldeiraria. Foto de Kelly Anderson.

Retirada de parte da chapa da caldeira em ponto crítico. Foto de Kelly Anderson.   

Chapa da caldeira já reparada. Foto Cortesia de Strasburg Rail Road.

Retirada do aro de uma das rodas motrizes. Foto cortesia de Strasburg Rail Road.

O respeito à integridade dos materiais originais sofre maior dificuldade quando se trata de peças mecânicas. Muitas vezes deve-se trocar boa parte das peças por novas. O que devemos ter em mente é que a instância histórica de peças de movimento de locomotivas a vapor, como é este caso, deve ser mais ligada às suas formas e funcionalidade, portanto, nunca desligada da instância estética.

Em breve, de acordo com o processo, voltaremos a este caso para mostrar os resultados finais e falaremos sobre teoria do restauro aplicada a bens ferroviários.

Nenhum comentário: