quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Mapa da Estrada de Ferro Oeste de Minas

Desenho de Jonas Augusto, tendo como base o mapa da RMV de 1934.

7 comentários:

thiago2009r disse...

Achei muito oportuno esse mapa para que tomemos conhecimento do que era e o que restou da linha,São João del-Rei - Tiradentes é quase nada diante de Antônio Carlos - Barra do Paraopeba.Como de costume tenho uma dúvida,já ouvi algumas coisas mas ningúem soube explicar direito esse Ramal de Penedo,sei que no Pombal havia um triângulo em que a linha que saía da linha tronco levava o nome de Ramal de Penedo,tenho parentes que moram no Penedo que afirmam que o trem chegava lá por causa de uma mina,lembro de ter visto essa mina quando criança (ainda deve existir),ferroviários já me disseram que se carregava minério em César de Pina,São João del-Rei,PENEDO,Coqueiros (que inclusive tinha uma funicular),etc...,a coisa faz muito sentido,sem dúvida o ramal existiu,mas a linha chegava realmente até o povoado de Penedo ou era um pequeno trecho apenas para manobras de locomotivas?
Valeu Welber!

Welber disse...

Thiago,
Não conheço o lugar. Ouvi coisas da mesma forma que você. Realmente não sei informar detalhes sobre esse ramal, apenas que era curto, bem curto.

thiago2009r disse...

É justamente essas dúvidas que fascinam,mesmo pesquisando,a bitolinha ainda tem muitos "mistérios" por resolver,além desse ramal de Penedo outros ainda são desconhecidos como o sub ramal que saía de dentro do ramal das Águas Santas (a linha após atravessar a ponte sobre o Rio das Mortes se dividia em duas direções,a primeira seguia para o local que deu nome ao ramal,ou seja,Águas Santas e a segunda passava pelo local onde se localiza Santa Cruz de Minas culminando aos pés da serra onde fica o areal,dá pra notar o traçado da linha no Google Earth),outro exemplo são as paradas de Água Limpa e Olaria sugerindo que a linha passava no local onde fica a Av. Santos Dumont ou então do outro lado do córrego Água Limpa (que não é mais limpa) que servia para movimentar lenha e tijolos no bairro Santa Terezinha,etc...
Essa bitolinha ainda vai render muitos anos de estudo...

brufuga disse...

Olá vocês dois ai, eu percorri há mais ou menos um mês atrás, o que seria o ramal de penedo.Dá mais ou menos, quase 9kilômetros e segundo informações que "coletei" o ramal terminava onde existe uma curva bem perto da igreja do local.Eu cheguei fazer uma foto da última reta e que é inclusive uma pequena subida até onde provavelmente eles carregavam os vagões com o minério de cassiterita.Eu vou publicar essa foto no panoramio logo que descarregar da minha câmera pra terem noção de onde era isto.Eu tive parente que trabalhou lá na época que a mineração foi terminando nos anos 40.Lá acabou e começou mais intensamente na chegada de Ritápolis onde existe grandes voçorocas na cor vermelha.Depois confiram em www.panoramio.com/user/673714.Até, Bruno.

brufuga disse...

Sobre a parada de água limpa,minha vizinha disse que onde na curva perto do pontilhão de matosinhos onde existe uma cruz, existia uma paradinha ali, seria então essa?E a respeito da de Olaria, ela me disse que sempre, seus parentes donos dessa olaria que fica no lugar chamado "curva do ouro preto", os funcionários sempre levavam as incomendas de tijolos, de carroça até a estação de Chagas Dória.Talvez antes dessa estação, eles levavam onde provavelmente foi a estação de Matosinhos, já que essa Olaria ja existe há mais de cem anos.:=)

João Dias Neto disse...

Nasci no povoado da Tapera e ramal de Penedo passava a uns 30 metros ao lado da casa em que nasci e morei até aos 14 anos. Não tenho lembrança do tráfego de trens por ali. Acredito que no início da década de 40, do século passado dito ramal tenha sido desativado.

João Dias Neto disse...

Continuando o assunto Ramal de Penedo: O começo do ramal era no km 110, à margem esquerda do rio (Rio das Mortes),atravessava uma ponte de ferro e seguia ao lado do rio Santo Antônio, até o povoado do Penedo. Lembro-me que, no final da linha, existia uma plataforma para o carregamento do manganês extraído das minas exploradas naquele povoado.