quinta-feira, 21 de outubro de 2010

O trem apitava por aqui (Avenida Leite de Castro)

SJdR_1915_1_AvLdC_PB

De 1887 até 1984 a linha tronco da E. F. Oeste de Minas possuía a sequência que, se em 1887 expandiu a área urbana no sentido Noroeste do município, hoje muitos nem sabem que foi aberto pela via férrea.
Na virada do século XIX para o XX foi gerada, paralelamente à linha, a avenida que, mais tarde, homenagearia o construtor Joaquim Leite de Castro, empreiteiro de ascendência portuguesa, responsável pela construção de boa parte das linhas da Oeste.
Uma das razões do humilde “brogue” é compartilhar imagens de um passado nem sempre distante, mas por vezes já apagado da memória de muitos, e desconhecido para os que chegaram mais tarde.

Enquanto o rabo do trem se aprochega ao portão para sair do Complexo Ferroviário na extinta saída para o oeste, o bico da composição já vai lá adentrando o canteiro central da Av. Leite de Castro, 1979. Foto: Herbert Graf.


Em 1981 a locomotiva RFFSA 37 chegava arrastando um trem de calcário e de reboque a RFFSA 21, na imagem a composição passa em frente ao Seminário Diocesano, atualmente Colégio Revisão. Foto: Acervo NEOM-ABPF.


Aqui, em 1982, de novo a RFFSA 37 passando com o misto sobre a passagem de nível que existiu no cruzamento da Av. Leite de Castro com a Rua Frei Cândido (Rodoviária-Dom Bosco). Foto: Acervo NEOM-ABPF.


Um misto com carregamento de cimento encabeçado pela VFCO 39, por volta de 1977, na mesma posição da foto anterior, do ângulo direito. Foto: Benito Mussolini Grassi.


Trem com a RFFSA 40, passando em frente ao Cemitério do Quicumbi, 1982. Foto: Acervo NEOM-ABPF (recorte de jornal).


Em frente á E. E. Aureliano Pimentel havia uma passagem de nível, como se vê no “flagrante delito” da RFFSA 41 num tres especial de 1980. Foto: Acervo NEOM-ABPF.

Chegada de um trem puxado pela RFFSA 41 vindo de Aureliano Mourão em 1981. Foto: Acervo NEOM-ABPF.

O maquinista da VFCO 42, meu tio Sebastião, nos cedeu esta imagem do trem chegando na altura da fábrica Brasil, quase mesma posição da foto anterior, em 1978. Foto: Acervo NEOM-ABPF.


RFFSA 43 entre a Av. Leite de Castro e o pontilhão sobre o Córrego do Lenheiro, antes de passar pelo portão do Complexo Ferroviário. Foto: Acervo NEOM-ABPF.

VFCO 66, chegando de Aureliano Mourão, na altura da antiga Casa Bassi, se fosse hoje ela passaria por cima do trailer da Avalanche. Foto: Acervo NEOM-ABPF.


E, em 1976, a VFCO 68 fazia um trem especial, e passava em frente à Fábrica São-Joanense. Km100 da Oeste. Foto: Benito Mussolini Grassi.

6 comentários:

Marcelo disse...

CARAMBA, SOU UM FANATICO POR TRENS, NAO CHEGUEI A CONHECER ESSA PARTE DE QUANDO A MARIA FUMAÇA PASSAVA NA AV. LEITE DE CASTRO, MAS FICO ADMIRADO COM ESSAS FOTOS, LINDAS.
PARABÉNS PELO BELO BLOG.

Welber disse...

Gracias, hermano!

Thiago disse...

Essa postagem é uma daquelas que a gente fica sem palavras pra descrever,eu nasci em maio de 1984 e em dezembro já não tinha mais nada,eu sempre soube que o trem não ia só até Tiradentes mas nunca tinha visto nenhuma foto fora desse trecho e agora cada vez que vejo uma foto nova(velha)da linha antiga me sinto feliz e revoltado ao mesmo tempo,feliz por saber que muitos foram contra a erradicação da linha e conservam a história em fotos,casos,vídeos,etc...e revoltado por terem erradicado mesmo diante de vários pedidos na época,como o do Benito Grassi que solicitou que fosse mantido também o trecho até a Fazenda do Pombal,se tivesse sido atendido ainda teríamos a linha do "Bairro das Fábricas",há Welber por acaso você tem alguma foto que mostra a linha da Leite de Castro na altura da ponte do bezerrão,eu sempre quis saber como a linha saía da avenida.
Valeu mais uma vez!

Welber disse...

Thiago, a linha "do sertão", como chamavam esse trecho, seguia a rua que bifurca com a rodovia na direção do CTAN, que passa ao lado do campo de futebol. Foto ainda não consegui, mas dá pra caminhar pelo antigo leito.

michele disse...

Oi Weber adorei seu blog e também sou apaixonada pela história de São João del-Rei, será que você não teria uma foto do trem passando em frente a atual Cacel, antes da Cacel, até 1939 mais ou menos existia o Liceu de Artes e Ofícios de São João del-Rei e eu adoraria ver uma foto do prédio naquela época.
Obrigada! Abraços, Michele

Welber disse...

Michele, farei uma busca nos arquivos. Se encontrar, te envio.
Abraços,
Welber